Planejando a gravidez: plano de saúde e outros gastos.

Uma das despesas mais importantes para ser considerada durante a gravidez é o parto. Isso porque, mesmo quem tem plano de saúde pode ter alguns gastos extras. Por isso um bom planejamento financeiro é fundamental para não ter surpresas.
Uma das primeiras questões é descobrir se você vai fazer o acompanhamento da gravidez com um obstetra do convênio ou com um médico particular. No caso de ser um médico particular, entenda se seu convênio aceita reembolso e qual o valor do reembolso.
Outro ponto importante é verificar se o convênio cobre despesas com internação, anestesia e equipe médica em geral. Alguns profissional de anestesiologia não aceita convênios e a paciente que faz uso do serviço precisa pagar o valor integral e, depois, requerer o reembolso pelo convênio, caso tenha esta opção no plano de saúde.
Há também casos extremos, em que a paciente ou o bebê podem precisar de atendimento intensivo. Caso o convênio não ofereça cobertura é preciso ter uma boa reserva financeira, já que uma diária de UTI é extremamente cara.
Outro ponto que é preciso estar atento é quanto as despesas depois da concepção, cujas despesas raramente estão cobertas pelos convênios, já que são, em sua maioria, despesas com remédios.
Então, se você está planejando engravidar e ainda não tem um plano de saúde, esse é o primeiro item da lista para manter seu orçamento em dia para a chegada do bebê: dessa forma, você evita surpresas e frustrações no momento mais importante da sua vida.