Endometriose

Causas da infertilidade

Endometriose é um dos problemas mais comuns enfrentado por mulheres com dificuldade de engravidar. A doença caracterizada por um crescimento anormal do endométrio fora da cavidade uterina pode ser tratada e os procedimentos variam desde a ingestão de reguladores hormonais até intervenção cirúrgica nos casos mais severos.

Cólicas intensas, dores fortes durante as relações sexuais, ciclos menstruais muito longos, desconforto ao urinar ou evacuar: segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 6 milhões de mulheres sofrem com os sintomas da endometriose apenas no Brasil. A doença é uma das principais causas da infertilidade feminina e consiste no crescimento do endométrio fora da cavidade uterina, como por exemplo, nos ovários, trompas, intestino e reto ou até mesmo dentro do músculo uterino.

localização mais comum da endometriose

Quando fora do útero, o endométrio causa reações inflamatórias intensas e, como resultado, a maioria das pacientes apresentam cólicas menstruais muito fortes e dores durante a relação sexual.

Além disso, o processo inflamatório também é responsável pela ocorrência de cicatrizes dentro da cavidade abdominal. Estas cicatrizes também são conhecidas como aderências e podem levar à distorção da anatomia das trompas uterinas, conforme ilustrado na figura 1. Esse processo pode levar a dificuldade do encontro entre os espermatozoides e os óvulos , o que causa infertilidade.

útero com endometriose

A endometriose também pode atingir os ovários e quando isso acontece, a frequência ovulatória torna-se imprevisível e a qualidade da ovulação cai consideravelmente.

 

Causas da Endometriose
As causas da doença ainda são desconhecidas, embora haja muitas hipóteses. A primeira é a da hereditariedade: mulheres diagnosticadas com endometriose têm maior chance conceber filhas com a doença.
Além disso, outras hipóteses acerca do surgimento da doença também são levadas em consideração, como por exemplo:

  • Menstruação Retrógrada: durante a menstruação, as células do endométrio são naturalmente expelidas do corpo através do sangue menstrual. Na menstruação retrógrada, este sangue pode sofrer um refluxo para a cavidade pélvica através das trompas e as células endometriais então se instalam nos órgãos da cavidade pélvica e lá se multiplicam, gerando os sintomas da doença.
  • Sistema imunológico deficiente: quando em perfeito funcionamento, o sistema imunológico combate células que se instalam fora do local adequado. Quando este sistema falha, doenças como a endometriose encontram condições ideias para seu desenvolvimento.
  • Intervenções cirúrgicas: em situações raras, é possível que as células do endométrio se prendam à incisões cirúrgicas e comecem a se desenvolver fora da cavidade uterina.

 

Diagnóstico
Apesar de normalmente se manifestar após os 25 anos, a endometriose é um processo contínuo que começa logo após a primeira menstruação da mulher. Por isso, é importante salientar que cólicas menstruais intensas devem ser reportadas ao seu ginecologista. Além disso, toda mulher deve fazer um acompanhamento frequente da sua saúde reprodutiva, realizando exames de ultrassom que possam identificar alterações nas trompas e ovários, pois estes órgãos normalmente são afetados por quadros de endometriose.

Para confirmação do diagnóstico, pode ser feita a dosagem sanguínea do CA-125, porém o diagnóstico mais preciso é feito por videolaparoscopia, um exame no qual uma câmera é inserida através da parede abdominal, permitindo a visualização do útero e dos órgãos vizinhos – trompas, ovários, intestinos e bexiga. Esse procedimento permite identificar as alterações causadas pela endometriose, bem como a presença de lesões escurecidas, aderências e cistos nos ovários preenchidos por uma secreção de coloração marrom, chamados cistos achocolatados.

Hoje em dia, métodos como a Ressonância Magnética da pelve e ultrassom com preparo específico para o diagnóstico de endometriose têm muito boa precisão diagnóstica e substituem de forma bastante segura a necessidade de fazer a videolaparoscopia.

 

Tratamentos
Existem várias opções de tratamento para controle do sintomas e regressão da endometriose. Eles devem sempre ser indicados por um médico e levam em consideração a idade da paciente, o estágio da doença e a gravidade dos seus sintomas.

Pacientes que querem engravidar
As pacientes que desejam engravidar e que têm endometriose podem ser submetidas a alguns tipos de tratamentos, a depender do seu caso e sintomas:

  • Videolaparoscopia: indicado principalmente para as pacientes com dores incoercíveis ao tratamento clínico e que acredita-se que se pode melhorar a anatomia pélvica a ponto de atingirmos a gravidez natural;
  • Tratamentos de reprodução assistida: a depender do grau de acometimento da anatomia pélvica pode-se optar pela realização de relação sexual programada, inseminação intrauterina ou Fertilização in vitro.

Para quem não quer engravidar:

  • Administração de contraceptivos orais que interrompam o ciclo menstrual aliado a medicamentos para redução das dores.
  • Ingestão de medicamentos que inibem a produção de estrogênio pelos ovários.
  • Intervenção cirúrgica nos casos mais severos da doença ou quando a mulher não pretende ter filhos.
  • Implantes hormanais subcutâneos: para saber mais sobre os implantes acesse o site: www.clinicaeeg.com.br, desenvolvido pelo Dr. Antonio Roberto Frascareli.

 

Ainda tem alguma dúvida? Clique aqui e fale com a gente.
Gostou desse conteúdo? Clique aqui e curta nossa página no Facebook para acompanhar nosso conteúdo informativo.

 

Nota: por se tratar de fatores biológicos, físicos e individuais de cada paciente, a realização do tratamento não é garantia de gravidez.
Ainda tem duvida? Clique aqui e saiba mais.

Artigos Relacionados

fiv-fertilizacao-invitro
Fertilização “in vitro”

Atualmente a fertilização “in vitro” é o principal tratamento realizado nas clinicas de reprodução humana.

saiba mais +
banco_embrioes
O que são Banco de Embriões?

Este tratamento torna-se uma alternativa as pacientes apresentam uma baixa resposta às medicações.

saiba mais +