Dicas para aumentar sua fertilidade

Conheça algumas dicas úteis que podem te ajudar a aumentar a sua fertilidade de forma natural.

dicas para engravidar vivita

Como aumentar sua fertilidade naturalmente:

1. Período fértil:

Apesar de qualquer relação sexual desprotegida poder resultar em gravidez, há uma fase durante o ciclo menstrual em que a ocorrência da gestação é mais provável. Esta fase é chamada de período fértil e associa-se diretamente com o momento em que ocorre a ovulação. Sua duração pode variar entre as mulheres, mas em geral se estende por 6 dias, levando-se em consideração o tempo em que espermatozoides e óvulos permanecem viáveis dentro das tubas uterinas. No dia da ovulação e nos dois dias que a antecedem, portanto por 3 dias, a probabilidade de uma relação sexual resultar em gestação é a mais alta durante todo o ciclo menstrual.
Como saber quando é o período fértil?

Idealmente, sabendo quando a ovulação ocorre saberemos quando é o período fértil. Na prática, porém, nem sempre é fácil adivinhar o momento da ovulação. Algumas mulheres conseguem perceber modificações do padrão do muco vaginal, que se torna mais abundante e “escorregadio” (parecido com clara de ovo), próximo da ovulação. Outras sentem uma dor em pontada na parte baixa do ventre e/ou aumento da libido. Contudo, perceber estas modificações físicas próximo ao momento da ovulação não é um pré-requisito para que a gestação ocorra, isto é, nem todas as mulheres que ovulam percebem estas modificações e as que percebem podem não senti-las todos os meses, o que não significa que não estão ovulando. O maior sintoma da regularidade da ovulação é a regularidade menstrual. Por isto, pode ser feito também um cálculo para estimar o período fértil de acordo com o padrão menstrual . Caso o ciclo seja irregular ou a mulher não consiga perceber nenhuma modificação física próximo a ovulação, pode-se utilizar os testes urinários de ovulação (vendidos em farmácias) para se ter uma estimativa do momento de maior fertilidade durante o ciclo.

2. Relações sexuais:

Estudos demonstram que a frequência sexual tem relação com a chance de gestação, principalmente durante o período fértil. Apesar de não haver um número ideal de relações a ser recomendado para os casais que querem engravidar, sabe-se que casais com apenas uma relação por semana têm chances de gestação menores do que outros com frequência sexual maior. A abstinência sexual prolongada, por mais de 10 dias, pode causar alterações nos espermatozoides. Por outro lado, relações sexuais diárias ou cada dois dias não parecem afetar a produção e as características seminais, além de aumentarem discretamente as chances de gestação. Portanto, para casais que estão tentando engravidar recomenda-se relações sexuais frequentes a partir do término da menstruação até o momento da ovulação.
A posição sexual não parece interferir com as chances de gestação, contanto que ocorra ejaculação dentro da vagina. Ficar deitada em repouso depois da relação também não aumenta as chances de engravidar, pois os espermatozoides mais rápidos conseguem entrar naturalmente no útero minutos após a relação e já se dirigem às tubas uterinas.

Uma dica de aumento de fertilidade naturalmente interessante para casais que estão tentando engravidar é tentar não usar lubrificantes vaginais. Apesar de estudos observacionais com casais que usam tais produtos não demonstrarem redução na chance de gestação, muitos destes lubrificantes reduzem significativamente a mobilidade dos espermatozoides in vitro.

3. Cigarro, álcool, cafeína e drogas:

O cigarro aumenta o risco de infertilidade feminina e está associado à antecipação da menopausa em 1 a 4 anos e ao aumento do risco de abortamento, tanto em gestações naturais quanto nas obtidas após tratamento de reprodução assistida. Nos homens, o tabagismo está associado a alterações na produção, movimentação e forma dos espermatozoides. Além destes efeitos reprodutivos, o cigarro também está associado a ocorrência de diversas outras doenças. Portanto, recomenda-se não fumar ou parar de fumar quando se está tentando engravidar.

Apesar de não haver consenso quanto a “dose segura” para cada indivíduo, o consumo de álcool em excesso (mais de 20g de etanol ao dia, isto é, mais de duas taças de vinho ou duas cervejas ao dia) pode reduzir a fertilidade feminina, portanto deve ser evitado por mulheres tentando engravidar. Por outro lado, durante a gestação o álcool, mesmo em quantidades pequenas, pode causar mal formações fetais, consequentemente não há “dose segura” e deve ser totalmente evitado.

O consumo moderado de cafeína (até 2 xícaras de café ao dia), não parece interferir na fertilidade e nem nos riscos relacionados à gestação, como o de abortamento. Apesar de não haver comprovação científica sólida, doses mais altas de cafeína podem reduzir a chance de engravidar naturalmente (mais de 5 xícaras de café ao dia) e, nas mulheres grávidas, aumentar o risco de abortamento (mais de 3 xícaras de café ao dia).
Ainda tem duvida? Clique aqui e saiba mais.