Assisted Hatching

Tratamentos

O “assisted hatching” (eclosão assistida) foi desenvolvido para auxiliar a capacidade do embrião de implantar. Consiste na abertura artificial da zona pelúcida, através de uma variedade de técnicas, incluindo o uso de meios químicos, técnicas mecânicas e uso de laser.

O embrião humano é cercado por uma camada celular de 13-15 µm de espessura, chamada de zona pelúcida. Após a fertilização, a zona pelúcida bloqueia a entrada de outros espermatozoides, previne a dispersão das células do embrião e auxilia o transporte do embrião pela tuba uterina. Para a implantação do embrião no útero, naturalmente ocorre uma ruptura na zona pelúcida no quinto ou sexto dia de desenvolvimento do embrião, permitindo que o blastocisto interaja com o endométrio. Esta ruptura de chama eclosão ou hatching.

Os procedimentos de reprodução assistida, por expor os embriões a condições artificiais de cultura, podem causar um endurecimento na zona pelúcida, dificultando a ocorrência do hatching natural e diminuindo as chances do embrião implantar.

O assisted hatching (eclosão assistida) foi desenvolvido para auxiliar a capacidade do embrião de implantar. Consiste na abertura artificial da zona pelúcida, através de uma variedade de técnicas, incluindo o uso de meios químicos, técnicas mecânicas e uso de laser.

O laser tem sido largamente utilizado nas clinicas de reprodução assistida, por ser simples, fácil e rápido. As vantagens do laser são: exposição do embrião por um período curto fora da incubadora, rápido, e o perigo de aquecimento do embrião é minimizado.
Em nossa clínica, utilizamos a técnica de assisted hatching em todos os embriões selecionados para a transferência, com o intuito de maximizar as chances dos embriões de implantar.

Veja nosso vídeo sobre assisted hatching.

Ainda tem duvida? Clique aqui e saiba mais.