Congelamento de Óvulos, Espermatozóides e Embriões

Tratamento para engravidar

O avanço das técnicas de reprodução assistida permitiu muito mais do que o tratamento de pessoas com dificuldades em alcançar uma gravidez: permitiu também preservar e estender a fertilidade humana através da criopreservação de gametas e embriões. Para aqueles que desejam ter filhos no futuro, ou que passarão por algum tratamento que possa comprometer a qualidade de seus gametas, o congelamento de óvulos, espermatozoides e embriões é uma alternativa para conservar seu material genético por mais tempo.

Muito além de ajudar pessoas no tratamento da infertilidade, a reprodução assistida é também possibilita que pessoas escolham ter filhos no futuro, inclusive fora da idade reprodutiva considerada ideal.

Os maiores exemplos atualmente são os tratamentos contra o câncer: na maioria dos casos, a radiação e a quimioterapia afetam drasticamente a capacidade reprodutiva do(a) paciente, tornando-o(a) estéril. Por isso, a preservação de óvulos, espermatozoides e embriões antes de realizar este tipo de tratamento torna-se uma alternativa para que esses pacientes possam gerar filhos saudáveis no futuro.

Além disso, observa-se uma crescente tendência à maternidade tardia, ou seja, as mulheres estão optando por ter filhos mais tarde. Porém, como já é amplamente observado, a capacidade ovulatória e a qualidade dos óvulos decai bastante a partir dos 35 anos. Por isso, métodos que permitam preservar a fertilidade são importantes para que um casal realize o sonho de ter um filho no momento em que achar mais apropriado.

Técnicas para preservação da fertilidade:

  • Congelamento de sêmen: coletado por masturbação, o sêmen obtido é congelado a −196°C e pode ser armazenado por tempo indeterminado. Para garantir a qualidade do material, normlmente são coletadas diversas amostras.
  • Congelamento de embriões: após a realização de uma fertilização in vitro (LINK PARA FIV), os embriões são congelados em nitrogênio líquido a −196°C por tempo indeterminado. Essa técnica somente pode ser realizada se a mulher já estiver com o parceiro com o qual pretende formar uma família ou se optar usar sêmen de doador para futura gravidez.
  • Congelamento de tecido ovariano: a técnica ainda está em fase de estudos e apresenta baixas taxas de sucesso, mas deve ser levada em consideração, principalmente nos casos de pacientes que não podem ser submetidas à indução de ovulação. Nesta técnica, o tecido ovariano é retirado através de uma cirurgia minimamente invasiva (videolaparoscopia) e, logo após, o material obtido é fragmentado e congelado. Quando for utilizado, o tecido ovariano congelado é reimplantado no organismo e para obter os óvulos. Quando reimplantado o tecido, é necessária a realização de indução da ovulação nos moldes da fertilização in vitro para se obterem os óvulos.
  • Congelamento de óvulos: esta técnica também é nova, mas apresenta resultados bastante interessantes e muito melhores que o congelamento de tecido ovariano. Nesse procedimento as pacientes são submetidas a uma indução de ovulação nos moldes de fertilização in vitro e é coletado o maior número de óvulos possível. Após sua captação, os óvulos maduros são congelados e podem ser utilizados quando for mais apropriado. Nesse método não há necessidade de estar com o parceiro com o qual se pretende construir uma família. Além disso, óvulos são considerados apenas células e, diferentemente dos embriões, podem ser descartados se não forem mais desejados.

 


Ainda tem alguma dúvida? Clique aqui e fale com a gente.
Gostou desse conteúdo? Clique aqui e curta nossa página no Facebook para acompanhar nosso conteúdo informativo.

Nota: por se tratar de fatores biológicos, físicos e individuais de cada paciente, a realização do tratamento não é garantia de gravidez.
Ainda tem duvida? Clique aqui e saiba mais.

Artigos Relacionados

banco_embrioes
O que são Banco de Embriões?

Este tratamento torna-se uma alternativa as pacientes apresentam uma baixa resposta às medicações.

saiba mais +
c6082-idade-maxima-fiv-web-300x149
Qual a idade máxima para o tratamento?

A resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), de 09/05/2013, estabeleceu novas regras para a reprodução humana.

saiba mais +