Histeroscopia

Histeroscopia é a observação direta da cavidade uterina com uma microcâmera e ótica. Pode ser diagnóstica ou cirúrgica. O objetivo da histeroscopia diagnóstica é avaliar se há distorções macroscópicas da cavidade uterina.

Histeroscopia é a observação direta da cavidade uterina com uma microcâmera e ótica. Pode ser diagnóstica ou cirúrgica.

Histeroscopia diagnóstica:

O objetivo da histeroscopia diagnóstica é avaliar se há aderência, pólipo, mioma, sinais de inflamação, enfim, distorções macroscópicas da cavidade uterina que podem causar sintomas (alterações do padrão menstrual, sangramento fora do período menstrual, dor, etc.) ou interferir com a implantação embrionária. Se necessário, é possível inclusive retirar pequenos fragmentos do endométrio (biópsia dirigida) para estudo microscópico (anátomo-patológico).

O exame pode ser feito com ou sem anestesia. Inicialmente, é realizado um exame especular, como para se colher um Papanicolaou, e faz-se uma limpeza da vagina e do colo do útero com solução antisséptica. A seguir, coloca-se uma ótica bem fina pelo orifício natural do colo do útero (não é necessário fazer nenhum corte ou dar pontos). Utiliza-se gás carbônico ou soro fisiológico para distender a cavidade uterina e permitir a observação das paredes internas do útero, bem como dos orifícios das tubas uterinas dentro do útero.

Histeroscopia cirúrgica:

Segue o mesmo princípio da histerocospia diagnóstica (visualização da parte interna do útero), porém é usada para correção de algumas distorções internas do útero como pólipos, miomas, aderências, septos, etc.

Em geral, é necessário utilizar anestesia para fazer a histeroscopia cirúrgica. Inicialmente, é feita a assepsia e antissepsia da vagina e do colo do útero. A seguir coloca-se o instrumental pelo colo do útero (não é necessário fazer cortes ou dar pontos também, porém dependendo do tipo de instrumental cirúrgico utilizado pode ser necessário dilatar o colo do útero um pouco). Distende-se a cavidade uterina com uma solução. Visualiza-se a estrutura que deve ser removida ou corrigida e, com a ajuda de pequenas tesouras ou do bisturi elétrico, é feita a cirurgia.

Como trata-se de cirurgia minimamente invasiva (com pequena manipulação cirúrgica e instrumentos delicados) e por um orifício natural do corpo (colo do útero), a recuperação normalmente é rápida, mas depende do tipo de cirurgia realizada.
Ainda tem duvida? Clique aqui e saiba mais.