Doação de óvulos

Tratamento para engravidar

A Doação de óvulos é um procedimento moderno e seguro, que oferece benefícios tanto para a doadora quanto para a receptora. Mulheres que possuem dificuldade para engravidar a partir de seus próprios óvulos podem procurar este método conceptivo para realizarem o sonho da maternidade.

A ovodoação é um procedimento no qual uma mulher doa seus óvulos para que eles sejam fecundados e depois implantandos no útero de uma receptora. Este procedimento é seguro tanto do ponto de vista jurídico quanto biológico, além de ser um processo sigiloso, ou seja, a identidade das pessoas envolvidas em uma ovodoação nunca é revelada.

Existem diversas situações em que este tratamento é indicado:

  • Mulheres com menopausa precoce (que não produzem óvulos ou falência ovariana precoce)
  • Mulheres com comprometimento da qualidade ovulatória causado por alguma doença ou pela idade
  • Mulheres com alguma doença genética que as impossibilitem de terem óvulos com capacidade de gerar embriões saudáveis
Como é o processo para se doar óvulos?

Para que a ovodoação aconteça de maneira legal e juridicamente segura, é preciso respeitar dois aspectos importantes:

  • anonimato – a doadora e a receptora não podem se conhecer em nenhum momento e sob nenhuma circunstância
  • sem fins lucrativos – não pode haver pagamento à doadora por ela estar doando óvulos)

Além disso, em nossa clínica temos algumas outras regras:

  • A doadora tem no máximo 32 anos de idade. Isso porque sabemos da importância da idade na qualidade ovulatória e este limite de idade nos permite resultados extremamente satisfatórios;
  • A doadora, além de jovem, é minuciosamente avaliada quanto a sua capacidade ovulatória. Ou seja, faz alguns exames (ultra-som para contagem de folículos antrais e dosagem de hormônio anti-mulleriano) para saber se há boa reserva de óvulos, o que permite melhores resultados;
  • A doadora também passa por exames sorológicos para a detecção de possíveis doenças contagiosas. Logicamente se houver este risco, ela não poderá doar seus óvulos;
  • Finalmente, a doadora passa também por extensa avaliação de antecedentes familiares e exames laboratoriais a fim de diagnosticar possíveis riscos de doenças hereditárias e/ou genéticas, que impossibilitariam a doação dos óvulos.

Obedecendo a estes critérios, a doadora estará apta a doar seus óvulos.

A partir daí, procuramos possíveis receptoras compatíveis fisicamente com as doadoras já liberadas e, com o aval do casal receptor, iniciamos o tratamento propriamente dito.

Em seguida, é feita a sincronização dos ciclos menstruais da doadora e da receptora, no qual a doadora é submetida a uma indução de ovulação. Após o crescimento adequado dos óvulos, eles são coletados e fertilizados pelo sêmen do marido da receptora e implantados no útero da receptora. Durante este processo, a receptora terá seu útero preparado com medicamentos hormonais para receber os embriões gerados no tratamento.

Normalmente, a doadora também está passando pelo tratamento de fertilização in vitro, então haverá dois processos de fertilização, nos quais metade dos óvulos serão fertilizados com o sêmen do marido da receptora e implantados no útero da receptora e a outra metade será fertilizada com o sêmen do marido da doadora e implantados em seu próprio útero.

Os benefícios para a receptora:

Todos os óvulos doados passam por um rigoroso sistema de triagem onde alguns fatores são levados em consideração para garantir a boa qualidade dos óvulos e, portanto, maiores chances de gravidez:

  • A doadora precisa ter menos de 32 anos de idade
  • Exames de ultrassom e hormonal que comprovam a boa função ovariana da doadora
  • Sorologias comprovadamente negativas (HIV, Hepatite B, Hepatite C, Sífilis, HTLV)
  • Exame genético (cariótipo) normal
  • Investigação do histórico de saúde física e psicológica da família da doadora
  • Processo 100% sigiloso
Os benefícios para a doadora:

A doação de óvulos é um ato de solidariedade, pois a mulher que doa seus óvulos permite que outra mulher realize o sonho da maternidade. Para ser uma doadora de óvulos no Brasil, o Conselho Federal de Medicina exige que a mulher também esteja passando por um tratamento de reprodução assistida. Assim, além de ajudar outras mulheres, a doadora também poderá realizar seu tratamento, já que as doadoras usufruem desde 2013 da possibilidade de custeamento de sua própria fertilização se doarem parte de seus óvulos. O Conselho Federal de Medicina autoriza que as doadoras tenham parte dos custos de seus tratamentos de fertilidade pagos pelas receptoras. Isso permite que mulheres que não tenham condições de arcar com os custos desse tratamento também tenham a oportunidade de realizar este procedimento. Tudo de maneira anônima!

O Programa de Doação de Óvulos da Clínica Vivitá é estruturado de acordo com as normas do Conselho Federal de Medicina, o que garante que seu tratamento será conduzido dentro de rígidos padrões de qualidade e segurança.

Ainda tem alguma dúvida? Clique aqui e fale com a gente.
Gostou desse conteúdo? Clique aqui e curta nossa página no Facebook para acompanhar nosso conteúdo informativo.

Nota: por se tratar de fatores biológicos, físicos e individuais de cada paciente, a realização do tratamento não é garantia de gravidez.

Ainda tem duvida? Clique aqui e saiba mais.

Artigos Relacionados

fator-ovulatorio
Conheça as dificuldades ovulatórias mais comuns

As dificuldades ovulatórias geralmente ocorrem por distúrbios hormonais que impedem os ovários de liberarem os óvulos.

saiba mais +
doacao-de-ovolus
Programa de Doação de Óvulos

Conheça nosso programa de doação de óvulos e saiba como isso pode ajudar no seu tratamento.

saiba mais +